O Especialista na Arte de Amar



COMENDO fora…


Tudo começou com um convite para jantar…

Um jantar na casa do meu grande amor, com tudo feito por ele, afinal, ele adora cozinhar. Mas, como ele “longe”, demorei 6 horas para chegar… mas cheguei e ele me levou pra casa dele.
Ele saiu direto do trabalho para me buscar e eu passei a tarde viajando, nada melhor como um banho.

Cada beijo e abraço antecedia frases que expressavam “saudade”… Mas estávamos famintos e ele foi pra cozinha fazer nosso jantar, mas enquanto cozinhava, íamos bebendo um frisante, afinal era uma noite de verão na cidade maravilhosa…

Não resisti, esperar por aquele corpo, ali sem camiseta, só de bermuda, de costas pra mim, estava me deixando louca…
Aquele tom moreno de praia, os músculos das costas bem definidos e a cada movimento dos braços os enfatizando ainda mais…
Enquanto preparava nossa refeição, cheguei por trás, só de camiseta e calcinha, me encaixei no corpo dele, enquanto beijava a nuca, passava uma mão no peito e outra na barriga dele…Ele só disse “Ah Bebel… ” e inclinou a cabeça pra trás…
Com essa aprovação dele, continuei… os beijos na nuca se transformaram em mordidas, a mão esquerda que estava no peito, subiu para a cabeça, que eu controlava segurando pelo cabelo. Já a mão direita… foi descendo, lentamente pela barriga, até chegar no pau que já se manifestava.

Ele tentou se virar e ficar de frente pra mim, mas não permiti… continuei o pressionando contra a pia, enquanto vasculhava seu corpo.
Enfiei a mão na bermuda, o pau dele estava deliciosamente pronto para receber minha boca e ele louco pra ficar de frente pra mim… mas não deixava…

Ele estava suando, tirei minha camiseta para que meus peitos sentisse o calor das costas dele, depois de muito relutar, permite que me beijasse a boca e ele o fazia com tanta fome, que parecia querer me engolir…

Deixei que se virasse, ficamos de frente um para o outro, mas sem nos desgrudar… Era tesão e amor demais ali, agora era ele quem mandava… Ele me beijava, me apertava, parecia quebrar meus ossos no abraço! Sua boca foi descendo, mordendo meu queixo, meu pescoço, meu ombro como se nunca os tivesse visto! Com a mão esquerda, vasculhava cada milímetro da minha bunda, enquanto ao mesmo tempo não me deixava desgrudar de seu corpo. Com a mão direita, guiava meu seio direito até sua boca e me chupava com desespero…

Eu brincava “amor e o nosso jantar?” entre um suspiro e outro, e ele sorrindo dizia “depois a gente vê isso”. Como ele não tinha a menor pressa e sei que gosta muito da minha boca, o empurrei e fui me agachando bem devagar, olhando pra ele e fazendo a cara que ele tanto gosta.
Já ajoelhada, sem parar de olhar pra ele, fui abaixando a bermuda que quase era rasgada por aquele pau, louco pra ser devorado… sem tirar os olhos do meu amado, abocanhei aquele pau, que já vibrava a espera da minha boca… Ele apoiou na pia, fechou os olhos e inclinou a cabeça pra trás.

(…)

Como é saboroso poder devorar um pau, colocá-lo todo dentro da boca e ir se afastando aos poucos, pressionando os lábios, como se chupasse um picolé. Ficar um tempo “mamando” só a cabeça, sem pressa, mas com toda a dedicação merecida… Minha mão esquerda apalpava e acariciava o saco, enquanto a mão direita segurava na base estimulando ainda mais.
Nossa, como eu amo esse homem! Como os suspiros dele me estimulam cada vez mais, o olhar de aprovação dele me deixa mais louca…

Me abaixei um pouco mais, queria o saco dele dentro da minha boca, enquanto minhas mãos continuavam todo o trabalho.
Pau dele roçava minha cara enquanto minha língua ávida, ia bem fundo, buscando alcançar todo o saco dele… chupei uma bola por vez, até colocar as duas ao mesmo tempo na boca… “Ah meu amor…” era só o que ele conseguia falar, mantendo a mão esquerda apoiada na pia e passando a mão direita no meu cabelo…

Senti o pau dele latejar… voltei a coloca-lo todo em minha boca, sem movimentos, apenas querendo “tê-lo” por completo.
Me levantei, voltei beijar sua boca, enquanto seu pau esfregava sobre minha calcinha, afastei a calcinha, pois queria o calor dele esfregando em minha buceta…
Hmmmm… meu amor se agachou na minha frente, começou me lamber por cima da calcinha… ahhhh ele adora me ver de calcinha branca de algodão! E com a cara de puto, olhando pra mim, afastou a calcinha e começou lamber toda aquela excitação que já encharcava toda a calcinha… Nossa… como eu amo essa boca quente na minha buceta…
Ele foi descendo a calcinha, lentamente… e já sem ela, com cada uma das mãos segurou um lado de minha bunda e me puxava contra ele, enquanto minha buceta inteira encaixava perfeitamente na boca dele. Ele praticamente mamava em mim! Sem pressa nenhuma, com a delicadeza, sem deixar gota alguma de meu gozo escapar e sem a menor pressa de acabar…
Minhas pernas já estavam mole demais para continuar nisso, pus a mão em sua nuca e o puxei pra cima, o fiz ficar de pé e virei de costas, queria o pau roçando em minha bunda, vasculhando todo meu rabo, enquanto ele me mordia o pescoço e puxava meu cabelo.

A mesa estava ali, na minha frente… me distanciei dele e disse “fique aí”, apoiei as mãos na mesa, ainda de costas pra ele, afastei bastante as pernas… fui me debruçando lentamente na mesa, rebolando e me “abrindo” cada vez mais… querendo mostrar tudo o que é dele…
Apoiei o cotovelo esquerdo sobre a mesa, a mão direita fui descendo até a buceta e comecei enfiar os dedos, na posição que eu estava, ele conseguia ver o que eu estava fazendo por trás de mim e só dizia “não vou resistir” e eu “ahhh… resista sim…”

Já com os dedos bastante melados, mudei a posição da mão, fui descendo minha mão pela minha cintura, passando pelo quadril até chegar na minha bunda… Apertava e a abria mais e mais, aproveitei os dedos úmidos e comecei massagear meu cu… aaaahhh como era deliciosa essa posição: eu de quatro, apoiando-me em uma mesa, e olhando o meu amor escostado na pia, me olhando extasiado!

Olhei pra ele, com a cara mais inocente do mundo, e disse “vem me foder, vem…”. Ele veio, encaixe perfeito e minha excitação escorria pelas pernas…
Mas, meu amor estava ali, encaixado me mim, comendo minha buceta com toda euforia do mundo, me mordendo as costas ferozmente e com a mão direita me apertando o peito… Ahhhhh eu achei que fosse morrer de tanto tesão, mas só queria mais e mais!

Me deitei sobre a mesa, para que ele me fodesse cada vez mais fundo… aahhhhh… como aquele pau se encaixa perfeitamente em mim! E meu amor entendia que eu queria cada vez mais forte e mais fundo, ele colocou um mão em cada um dos meus ombros, para poder me puxar com ainda mais força, dizendo “como eu adoro esporrar em sua buceta”…

Ahhhhhh… naquele momento, eu poderia morrer… não conseguia falar nada, só grunhir… O pau dele estava latejando, ele ia gozar! Me levantei um pouco, para poder comprimir um pouco mais o pau dele dentro de mim, e comecei rebolar, mais e mais… Ahhhhhh gozamos…

Definitivamente, não sei o que é mais maravilhoso na Cidade Maravilhosa…


🙂

%d blogueiros gostam disto: