O Especialista na Arte de Amar



Como aprender a usar calcinhas fio dental sem sofrimento, tudo que você precisa saber!

Muitas mulheres me mandaram e-mails dizendo que seus maridos reclamam da lingerie que elas usam e como soltam sempre uma gracinha sobre a calcinha enorme que estão usando. Eu li em seus e-mails que há um grande problema incomum entre elas, é a dificuldade de usar calcinhas fio-dental no dia a dia.

Então esta matéria é pra explicar um pouco mais sobre esse desejo que os homens tem pela calcinha fio-dental, quais são os bens que ela proporciona a mulher e finalmente como aprender a usá-las sem incômodo nenhum.

Curiosidades:

  • Antes da mulher brasileira se entregar totalmente ao silicone, a grande paixão masculina foi o derrière feminino. E demos sorte. As garotas tupiniquins sempre desfilaram belíssimas bundas nas praias ou em calças justas e capricham nos exercícios de fortalecimento do traseiro nas academias. É por essa razão que muitos machos gostariam de erigir uma estátua em homenagem ao criador da calcinha fio-dental, que louva essa parte da anatomia tão desejada. Então vou explicar algumas curiosidades relacionadas a esse desejo incontrolável e também responsável pelo surgimento de micro biquínis nas praias do mundo.

1 – Segundo Gilberto Freyre, a paixão brasileira por derrières vem do tempo do Brasil colônia, mas os colonizadores portugueses trouxeram essa mania de lá, já que as mulheres da Península Ibérica eram consideradas bundudas e rivalizavam com as negras africanas em tamanho. Acontece que para as negras e índias, o sexo anal era mais comum que para as europeias e, então, nesse quesito, elas levaram vantagem.

2 – A palavra bunda veio de ovimbundos, uma das etnias banta de Angola. As mulheres dessa etnia sempre foram conhecidas por sua beleza física e pelo farto derrière e assim, para simplificar, todo mundo as chamavam de bundas. E a palavra acabou pegando no lugar mais saliente.

3 –Estruturalmente, na raça humana, as nádegas são formadas dos músculos que movimentam as pernas e é também o local onde é armazenada a gordura para formação de um feto.

4 – Aliás, uma pesquisa de Oxford mostrou que o acúmulo de gordura no traseiro é benéfico para a saúde, pois protege contra doenças cardiovasculares, já que ajudam a eliminar lipídeos prejudiciais e possuem agentes anti-inflamatórios (que por sua vez vão prevenir que as artérias se entupam).

5 – Na astrologia antiga, cada parte do corpo é representada por um signo e no caso da bunda, o correspondente é libra, pois é o equilíbrio (é só conferir a figura da balança).

6 – O grande poeta brasileiro Carlos Drummond de Andrade escreveu um poema dedicado à paixão nacional chamado “A bunda que engraçada”, onde diz “Lá vai sorrindo a bunda / Vai feliz / na carícia de ser e balançar / Esferas harmoniosas sobre o caos / A bunda é a bunda, rebunda.”

7 – O Guinnes, ao contrário dos seios, não registra a maior nádega do mundo, mas a de Andressa Soares, a Mulher-Melancia, impressionou até mesmo Dian Hanson, editora da Taschen que fez questão de incluí-la no recém-lançado livro The Big Butt Book, e em entrevista exclusiva para o Terra, a decana especialista disse: “eu decidi que iria entrevistar apenas três modelos que são top em suas categorias e não deu para não colocar Andressa como a campeã. Sua nádegas são maiores e fiquei convencida de sua autenticidade”.

8 –Apesar disso, a bunda mais bonita do mundo é a da gaúcha Melanie Fronckowiak, que venceu um concurso em Paris em 2008, patrocinado pela marca de roupa Sloggi. De prêmio levou 15 mil euros e um seguro para sua área consagrada.

9 – Saindo um pouco das brasileiras, o site masculino AskMen escolheu no ano passado as dez melhores modelos de bundas lá na terra do Tio Sam. O ranking ficou em:

– 10º Kari Byron: sua bunda foi usada como molde em um dos programas dos Mythbusters. Sucesso foi tanto que ela virou convidada constante do show.

– 9º Absolutely Amber: apareceu rebolando em vídeos de hip-hop de Tony Yayo, Twista, Lloyd e Eminem e hoje tem seu próprio website.

– 8º Anita Hart: foi dublê de bunda para Pamela Anderson, Brooke Shields, Liz Hurley e Cindy Crawford, substituindo as coisas caídas das famosas por sua escultural nádega.

– 7º Linda Teglovic: era seu traseiro que aparecia em inúmeros comerciais de TV de calças jeans e calcinhas nos Estados Unidos.

– 6º Buffie “O Corpo” Carruth: primeiro apareceu em vídeos de rap e hip-hop e o sucesso foi tão grande que lançou seu website, um calendário e ainda vende fotos autografadas.

– 5º Krista Kennedy: a modelo americana trabalhou para a Vogue, Harpers, GQ, Marie Claire e Dove, e segundo o site, seu traseiro vale mais do que os lugares onde ela senta.

– 4º Kaho Watanabe: foi considerada a bunda mais bonita do Japão (e você sendo preconceituoso, não é?) em um concurso promovido por um fabricante de lingerie e como não podia deixar de ser, os homens de lá criaram um monte de blogs para louvar a compatriota.

– 3º CoCo: esposa de Ice-T, Nicole Austin também lucra com seu derrière exposto em seu site, especialmente depois que o mostrou sem nada nas páginas de Playboy.

– 2º Kristina Dimitrova: é a antecessora de Melanie no concurso de bunda mais bonita do mundo de 2007. Não chega aos pés da brasileira.

– 1º Vida Guerra: se você nunca ouviu falar nela, nem viu fotos dessa beldade, então não deveria estar lendo essa matéria.

10 – Entre 2007 e 2008, a cidade de Valentine, no estado americano de Nebrasca, foi “atacada” pelo bandido da bunda. O indivíduo abaixava as calças e deixava a marca do seu traseiro nas vitrines das lojas da localidade, sempre à noite. Seu maior feito foi carimbar todas os vidros de um hotel em uma noite. Foi preso somente em novembro de 2008, e identificado como Thomas Larvie de 35 anos. A pena foi de 13 meses na cadeia.

  • Na revista Galileu já algum tempo atrás saiu uma pequena matéria falando sobre a calcinha fio-dental e quais benefícios traziam pras mulheres, um deles e talvez o mais importante pra elas seja a diminuição de celulite nas nádegas, pois as mulheres que usam as calcinhas pequenininhas (Fio-dental) estão deixando o sangue correr mais livremente, ao contrário das calcinhas tipo calçolão que apertam e não deixa o sangue circular mais tranquilamente, deixando então o bumbum com o acumulo excessivo de celulite.

  • Hoje em dia o gosto dos homens está se aperfeiçoando a cada dia, pra muitos o bumbum ainda é a preferência nacional, mas para outros está sendo a comissão de frente das partes baixas, ou seja, os lábios genitais. Os lábios pequenos, médios e grandes estão no gosto dos homens e quem disse que homem não gosta quando ela está visível? Ainda mais quando podem estar repartido (com a costura da calça enfiadinho dividindo os lábios para cada lado), quando a calça consegue modelar por completo aquela parte deixando o tecido quase repuxado e entre outras…

  • Você sabia que a calcinha fio dental te faz parecer estar com mais bunda? Pois é, a calcinha fio dental modela seu bumbum deixando livre a circulação das nádegas e assim fazendo com que o acúmulo de gordura (gordura que faz bem as mulheres como você pôde ter visto acima) se expande para trás e não para os lados como a maioria das mulheres pensa!


História e Conhecimento:

Uma tanga ou fio-dental é um pedaço estreito de tecido ou couro que passa entre as pernas e é unido por um pedaço em volta do quadril, usado como a parte de baixo de um biquini ou como roupa de baixo. É às vezes depreciativamente chamada de fio-dental, por sua tendência de deslizar entre as nádegas como o fio dental entre os dentes.

Embora tenha sido usada por décadas por dançarinas, a tanga ganhou grande popularidade nas mulheres da América do Sul, particularmente no Brasil na década de 70. No Brasil era originalmente um estilo de roupa de banho no qual a parte traseira era tão estreita que poderia desaparecer entre as nádegas de quem a usasse. A tanga em “Y” é uma mistura de tanga com tapa-sexo que é muito utilizado no carnaval brasileiro.

Em países de língua inglesa, este estilo de vestimenta foi chamado de “thong” e “g-string” (corda sol), nome que está em uso pelo menos desde o final do século XIX. A origem da palavra é incerta: pode ter sido uma analogia com a corda mais fina de um violino. Nesses países assim como no Japão a tanga também conquistou o setor de moda principalmente o masculino.

Homens e mulheres de muitas tribos na África vestiram tangas por séculos: a palavra “tanga” que teria sido usada por eles veio para o português e o espanhol com esse significado.

No final dos anos 80, a tanga popularizou-se na maior parte do Ocidente e a tanga como roupa íntima ganhou popularidade ao longo dos anos 90. Atualmente no Brasil, a tanga é um dos tipos de roupa íntima mais vendida para as mulheres. Enquanto que para os homens brasileiros existe dificuldade de aceitação do uso dessa roupa intima masculina. Já em países da Europa essa vestimenta é comum tanto para homens quanto em mulheres.

Uma vantagem de usar a tanga é que ela possibilita maior liberdade de movimento, contrapondo o corte das cuecas e calcinhas tradicionais que cobrem todas as nádegas, por isso ela vem se tornando popular para atletas em diversos países. Por esse motivo muitos consideram mais confortáveis enquanto outros não. Usar a mesma tanga por muito tempo é considerado anti-higiênico, como o seria com qualquer outro tipo de roupa de baixo.

Como muitos ícones da cultura popular, a tanga não passa sem controvérsias. Em 2002, uma loja americana, Abercrombie & Fitch, lançou uma linha de tanga para garotas entre 10 e 16 anos. No Brasil hoje em dia é possível ver meninas de 9 em adiante usando tangas pequenas por influência de ritmos populares do país como o Funk brasileiro. Vários grupos de consumidores declararam que tangas são extremamente sugestivas, sexualmente falando, opondo-se à sua comercialização.

Muitas cidades litorâneas nos Estados Unidos baixaram leis proibindo o uso de tangas em público, enquanto governos como o da Virgínia fizeram normas proibindo a exposição deliberada de roupas de baixo com o objetivo de impedir a exposição de tangas.

Tipo

Imagem

Tanga de tira em T

 

Tanga tipo G

 

Tanga em V

 

Tanga em Y

 


A evolução do biquíni:

Porque colocar um texto falando sobre biquínis já que estamos falando da tanga ou calcinha fio dental?

Pra usar o biquíni fio dental é necessário ter o conhecimento da calcinha fio dental, você precisa saber como usar para quando colocar um biquíni fio dental, você não se sentir estranha ou achar que aquele modelo não combina tanto com você.

Se há um setor do vestuário em que o Brasil está na frente, sem dúvida é o de moda praia. Além de ser o país que mais fabrica e consome esse tipo de roupa, o Brasil avançou em tecnologia e modelagem ao longo dos anos. O biquíni brasileiro é conhecido e reconhecido internacionalmente, seja por seu estilo mais ousado, por sua qualidade ou mesmo pela criatividade dos modelos, que o diferencia dos outros fabricados em outros países.

Apesar de toda essa vocação natural em relação aos trajes de banho, o biquíni não é uma invenção nacional. Ele foi inventado pelo estilista francês Louis Réard que o batizou com o nome do pequeno atol de Bikini, no Pacífico, onde os americanos haviam realizado uma série de testes atômicos.

Não é a toa que a famosa editora de moda Diana Vreeland (1903-1989) disse uma vez que o biquíni “é a invenção mais importante deste século (20), depois da bomba atômica”. O lançamento do primeiro biquíni foi em 26 de junho de 1946 e causou o efeito de uma verdadeira bomba.

Apesar de toda euforia em torno do novo traje de banho, descrito por um jornal da época como “quatro triângulos de nada”, o biquíni não emplacou logo de cara. O primeiro modelo, todo em algodão com estamparia imitando a página de um jornal, se comparado aos de hoje, era comportado até demais. Entretanto, para os padrões da época, um verdadeiro escândalo. Tanto, que nenhuma modelo quis participar da divulgação do pequeno traje. Por isso, em todas as fotografias do primeiro biquíni, lá está a corajosa stripper Micheline Bernardini, a única a encarar o desafio.

Na década de 50, as atrizes de cinema e as pin-ups americanas foram as maiores divulgadoras do biquíni. Em 1956, a francesa Brigitte Bardot imortalizou o traje no filme “E Deus Criou a Mulher”, ao usar um modelo xadrez vichy adornado com babadinhos.

No Brasil, o biquíni começou a ser usado no final dos anos 50. Primeiro, pelas vedetes, como Carmem Verônica e Norma Tamar, que juntavam multidões nas areias em frente ao Copacabana Palace, no Rio de Janeiro, e, mais tarde, pela maioria decidida a aderir à sensualidade do mais brasileiro dos trajes. A partir daí, a história do biquíni viria se tornar parte da história das praias cariocas, verdadeiras passarelas de lançamentos da moda praia nacional.

Na década de 60, a imagem sensual da atriz Ursula Andress dentro de um poderoso biquíni, em cena do filme “007 contra o Satânico Dr. No” (1962) entrou para a história da peça. Em 1964, o designer norte-americano Rudi Gernreich dispensou a parte de cima do traje e fez surgir o topless, numa ousadia ainda maior. No Brasil, essa moda não fez tanto sucesso quanto em algumas praias da Europa, mas mesmo assim o então prefeito de São Paulo, Prestes Maia, chegou a proibir o uso do topless em piscinas públicas. Um modelo muito usado nos anos 60 era o chamado “engana-mamãe”, que de frente parecia um maiô, com uma espécie de tira no meio ligando as duas partes, e, por trás, um perfeito biquíni.

Mas foi no início dos anos 70, que um novo modelo de biquíni brasileiro, ainda menor, surgiu para mudar o cenário e conquistar o mundo – a famosa tanga. Nessa época, a então modelo Rose di Primo era a musa da tanga das praias cariocas.

Durante os anos 80 surgiram outros modelos, como o provocante enroladinho, o asa-delta e o de lacinho nas laterais, além do sutiã cortininha. E quando o biquíni já não podia ser menor, surgiu o imbatível fio dental, ainda o preferido entre as mais jovens. A musa das praias cariocas dos anos 80 foi sem dúvida a então modelo Monique Evans, sempre com minúsculos biquínis e também adepta do topless.

Nos anos 90, a moda praia se tornou cult e passou a ocupar um espaço ainda maior na moda. Um verdadeiro arsenal, entre roupas e acessórios passaram a fazer parte dos trajes de banho, como a saída de praia, as sacolas coloridas, os chinelos, óculos, chapéus, cangas e toalhas. Os modelos se multiplicaram e a evolução tecnológica possibilitou o surgimento de tecidos cada vez mais resistentes e apropriados ao banho de mar e de piscina.

Toda essa intimidade brasileira com a praia, explicada pelo clima do país (em alguns Estados brasileiros é verão durante a maior parte do ano) e pela extensão do litoral que tem mais de 7 mil km de praias, podem explicar o motivo pelo qual o Brasil é o país lançador mundial de tendências desse segmento.

 

   

Diana Vreeland (1903-1989)

Brigitte Bardot (1956)

Monique Evans (1980)

Matérias relacionadas:

Para Quem Gosta de Ousar… Ou Ter Uma Marquinha Pequenininha!

Diferentes Tipos de Biquíni Fio Dental

Manual de como usar uma calcinha fio dental:

Agora que você sabe como surgiu a calcinha fio dental e como ela faz bem pra sua saúde, que tal aprender a usá-la?

A calcinha é um incômodo para todas as mulheres, isso é apenas a primeira impressão, ou seja, você não tem o costume de usar e então acaba sendo algo desconfortável apenas no início.

Para aprender a usar algo, qualquer coisa, você precisa insistir até pegar o jeito! Com a calcinha fio dental não é diferente, você precisa usar com freqüência por no mínimo um mês, sem deixar de usar. Lembre-se de usar a calcinha fio dental no primeiro mês até pra dormir! O modo de como você usa interfere muito no começo, pois você está em fase de adaptação. Usar calcinha muito frouxa em baixo ou usar calcinha fio dental acima do seu número não é aconselhável, dê preferência a calcinhas pequenas e use-as justa ao seu corpo, deixe-a apertadinha em você sem precisar ficar desconfortável. Se estiver naqueles dias (menstruada), não se preocupe! É só não usar uma calcinha fio dental tipo linha atrás, ou seja, use um meio termo, não precisa ser muito cavada atrás, mas é importante que não deixe de usar a calcinha pequena. Procure se olhar com freqüência no espelho, pra ver como você está, é um momento seu! Só seu! Você está aprendendo também a gostar de você com aquela peça intima, se começar no início a sentir certa excitação, é normal… Isso quer dizer que estará funcionando. E pronto em um mês no mínimo você estará completamente apaixonado pelo fio dental, irá quer comprar vários modelos pra usar em seu dia a dia, na hora do trabalho, na hora do cursinho, na hora da academia e na praia vai querer usar até mesmo seu biquíni fio dental, enfim, em todo lugar! Detalhe, fio dental é pra todo tipo de mulher, sem restrições! Use e abuse do fio dental… Nós homens agradecemos!


Trackbacks & Pingbacks

  1. Nossa, meu bumbum ficou maior! | O Especialista na Arte de Amar pingbacked em 2 years, 4 months ago

Comentários

  1. Sempre usei calcinha fio dental desde menina e ja acho bem legal, principalmente as menores que deixam o meu bumbum bem “a vontade”. Tanto que na praia, uso biquinis G-String para desespero de algumas mocreias que não ousam nem pensar em usar. Tenho 28 anos 1.74, 69 quilos e 138 ctms de bumbum arrebitado atrevido redondinho que me rende até algumas piadinhas, as vezes até sem graça. Mas, cada uma usa o que mais gosta, não?

    Publicado 2 years, 2 months ago
  2. * Daniel says:

    Eu amo ver as mulheres usar calcinha fio dental, isso me chama muito atenção. Sou apaixonado ver toda mulher que usa calcinha fio dental. Me acho lindo e sensual elas usar calcinha fio dental. Pra mim é uma delicia toda mulher que agrada o homem com bom gosto.

    Publicado 3 years, 1 month ago
  3. * A R M says:

    HOJE ATE NOS HOMENS USAMOS!

    Publicado 3 years, 5 months ago
    • * Especialista says:

      Aí é outra história e em breve vou estar postando uma matéria sobre isso!

      Publicado 3 years, 5 months ago


Comments are not allowed at this time.

%d blogueiros gostam disto: