O Especialista na Arte de Amar



A etiqueta do sexo oral

Porque nem entre quatro paredes vale exatamente tudo?…

Dizem que não há limites entre quatro paredes desde que os envolvidos sejam maiores, vacinados e estejam de acordo. Mas mesmo no “vale-tudo” há que se ter educação e ter em mente que o outro não é simplesmente um objeto de prazer, mas alguém que tem suas vontades próprias. Por isso é sempre bom seguir algumas regrinhas básicas. Ainda mais quando se trata de uma prática íntima, como o sexo oral. Vejamos:

1. Quando você é o favorecido
Atenção à higiene
Regra básica, aplicável a qualquer pessoa ou situação. Para começar, atenção aos pelos pubianos. Deixar a mata sem aparar é no mínimo incômodo – para não dizer feio. Passe uma máquina com pente 1 ou 2, inclusive no escroto. Mantenha o pênis sempre bem limpinho e não esqueça de enxugar a ponta dele com papel higiênico depois do xixi. Ter lencinhos umedecidos à mão é ótimo: pode ajudar em transas inesperadas!

O famoso “vou gozar”
Fundamental. Se você tem uma relação estável e não usa preservativo porque já fez acordo com a parceira e minimizaram os riscos, então chegou a hora de exercitar a frase. Não há nada mais horrível que receber um jato de esperma na boca e não saber o que fazer com ele, do tipo “cuspir ou engolir, eis a questão”. Por mais incrível que isso seja para você, para ela, acredite, pode ser bem ruim. Então avise: assim ela pode decidir o que fazer.

Há alguém lá embaixo
Se você deseja imprimir o seu ritmo, faça isso com parcimônia. Não há nada mais irritante que alguém espremendo as suas orelhas ou forçando a sua cabeça para baixo ou puxando o seu cabelo. Menos.

2. Quando você vai favorecer
O perigo dos orgasmos múltiplos
Eu sei que é muito bom sentir a mulher tendo um orgasmo. Mas não insista com o estímulo se ela deu sinais de afastamento: o clitóris fica muito sensível, e pode ser incômoda – ou até dolorosa – uma insistência após o orgasmo. Além disso, grande parte das mulheres não tem orgasmos múltiplos e outras preferem se encolher e relaxar, curtindo a sensação. Portanto, preste atenção no que ela diz ou orienta com o corpo.

A exploração de outros orifcios
Veja bem: nem todas gostam de uma exploração anal enquanto rola um sexo oral. Há quem goste, há quem não goste e há dias em que simplesmente não cai bem. Por isso, seja sutil ao explorar a região, com a língua ou com o dedo, descendo devagarzinho e percebendo os sinais. Se sentir aquele “toque de recolher”, abandone a área e concentre-se em fazer o melhor nos genitais.

—————————–
Ana Canosa é psicóloga clínica e terapeuta sexual e acredita que o sexo oral sempre pode ficar melhor.


%d blogueiros gostam disto: