O Especialista na Arte de Amar



Mãos à obra!

Você manda bem e o sexo com ela está legal. Mas isso é o máximo que vocês conseguem? Saia do piloto automático e ganhe mais prazer na relação!

O que melhora a vida sexual? Divertir-se mais juntos a noite e sexo quando menos se espera são os recursos mais afinados entre 2.456 homens e mulheres consultados por MH*

*pesquisa nos sites MH e NOVA realizada em junho

Homens e mulheres revelam como driblam períodos mornos e como transformam o sexo satisfatório em algo realmente incrível. “O Casal deve tomar cuidado para não deitar em berço esplêndido e ali permanecer. É preciso estar ‘sempre em crise’. Ou seja, tem que manter aquele frio na barriga para conquistar o outro, dia após dia”, diz o sexólogo Amaury Mendes Júnior, do Rio de Janeiro. Inspire-se!


ATENÇÃO, INTIMIDADE E CUMPLICIDADE REFORÇAM OS SENTIMENTOS DO CASAL

CABEÇA E CORAÇÃO ABERTOS

Namorados há quase três anos, Roberto Saraiva Ferreira, 26 anos, e Ainá Brandão Vietro, 31, ficam atentos para que a vida sexual seja mais do que simplesmente boa. “Somos muito carinhosos um com o outro no dia a dia. E nosso segredo é não ter medo de saber o que o outro quer. Estamos abertos a descobertas e a novas situações. Por exemplo: se um dos dois sente atração por outra pessoa, não temos medo de expor. Isso até apimenta a relação.

Não vemos isso como traição e sim como uma forma de deixar a relação ainda mais forte. Quando um diz para o outro que está a fim de uma terceira pessoa, passamos a dar ainda mais atenção à nossa relação. Não vou dizer que é tudo lindo, porque rola insegurança, claro. Mas é preciso trabalhar questões como o ciúme e a posse”, revela Ainá.

“A atenção mútua, a intimidade e a cumplicidade reforçam os sentimentos do par e são fundamentais para que o sexo seja ainda mais gostoso”, afirma o sexólogo Celso Marzano, de São Paulo. Outro recurso que Ainá e Roberto usam para não deixar que o sexo se transforme em algo banal é não se obrigarem a ter orgasmo no fim da relação. “Para nós, isso aumenta muito a libido no dia a dia.

Uma simples transa vira algo muito mais intenso”, garante Roberto. Para driblar outras situações que podem comprometer a vida sexual – como falta de privacidade (ela divide o apartamento com amigas) e de tempo –, os dois costumam marcar encontros românticos com frequência. “Senão, a rotina nos engole. Só que é preciso esforço consciente dos dois lados”, diz Roberto.

DETALHES ROMÂNTICOS

São as pequenas atitudes que fazem a diferença no relacionamento de Anderson Zacarias, 32 anos, e Cíntia Esteves, 35. “É uma delícia receber um SMS carinhoso dizendo que ele está com saudade ou até um mais picante para aguçar a vontade de estar junto. Isso faz manter a relação sempre quente”, revela Cíntia. Anderson acredita e aposta no romantismo para manter o fogo da paixão desde o início do namoro, há seis meses. “Ele seguiu a tradição e me pediu em namoro. Eu adorei isso!”, revela Cíntia, que também curte quando o parceiro chega de surpresa, a abraça e sussurra palavras doces no seu ouvido. Os dois consideram a vida sexual mais do que satisfatória, porque ela é repleta de cumplicidade e carinho. E garantem que não é necessário muito esforço para isso. “Às vezes uma lingerie diferente, uma conversa mais apimentada ou um carinho novo já criam todo um clima. Adorei o dia em que ela apareceu com uma camisola branca sexy, foi tudo de bom”, diz Anderson. Mesmo se encontrando com frequência, eles não temem que a rotina interfira no sexo. “Cama não é lugar para discutirmos a relação ou nossos problemas diários. Quando estamos juntos é para ficarmos bem – e que tudo mais fique da porta do quarto para fora”, fala Cíntia. Naqueles dias em que um dos dois não está disposto, o que vale é o velho e bom papo antes de irem deitar.

“Jogamos aberto para evitar que nossa vida sexual seja afetada”, completa ele. Aliás, a estratégia usada pelo casal é boa, segundo o sexólogo Amaury Mendes Júnior. “As discussões são válidas. É importante perceber que existem diferenças entre vocês, mas procurem  não ir dormir zangados um com o outro. Mesmo em uma conversa mais séria, coloque carinho no que você fala, peça desculpas se for preciso, valorize a parceira. O relacionamento e o sexo saem ganhando”, aconselha.

AQUEÇA O DIA A DIA COM BEIJOS, CARINHO E AMASSOS

 

RÉDEAS SOLTAS

Ezequiel Rodrigues, 40 anos, diz que em sete anos de relacionamento é impossível não ter períodos de sexo apenas “ok” e alguns até mesmo “mornos” – como na gravidez e na pós-gravidez. Mas o negócio é perceber essas fases e, junto com a mulher, reverter o quadro. “Nesses momentos, procuramos reativar o desejo programando uma viagem ou mesmo um jantar a dois, além de aquecer o dia a dia com mais beijos e carinhos. Funciona também dar uns bons ‘amassos’ sem chegar aos finalmentes, deixando o tesão à flor da pele”, diz. O importante, para ele, é que ambos tenham atitude na cama e encarem o sexo sem frescuras ou limitações. Sua parceira, Claudia Ruiz, 39, também entende que para escapar do sexo rotineiro é preciso buscar constantemente a satisfação do outro. “Eu me excito ao vê-lo excitado. Então, capricho na sedução. Mas tem que haver reciprocidade nesse desejo, caso contrário não há realização entre o casal e sim só de uma das partes.” Por isso, os dois precisam estar atentos aos sinais da conquista. “Surgiu um casamento para irmos e comprei um vestido bem sexy. Mas reparei que a costura da calcinha marcava a silhueta e resolvi usá-lo sem a peça íntima.

Nós já estávamos de saída quando lancei um olhar cheio de desejo e disse: ‘Estou sem calcinha!’ Ele entendeu o recado e nem perguntou o porquê. Passou a festa inteira me secando com os olhos, a ponto de uma amiga reparar e vir comentar comigo. Bem, a chegada em casa foi puro desejo e transamos de forma espetacular”, conta. Para espantar todo e qualquer tédio que possa existir na relação, Ezequiel também sugere que o sexo de vez em quando seja feito além da cama do casal. Ele, por exemplo, curte a adrenalina da excitação (e até de uma transa, por que não?) em lugares públicos ou no carro – tomando, obviamente, certos cuidados. Claudia gosta de uma boa suíte de motel, mas aposta mais em explorar as possibilidades do relacionamento sem pudores, descobrindo novas posições e formas de se chegar ao orgasmo – e isso, para ela, pode acontecer até mesmo durante o sexo “básico”. “O que vale para mim é o homem ter pegada e aquele olhar que penetre mais que o próprio pênis”, diz.


%d blogueiros gostam disto: