O Especialista na Arte de Amar



Exame oral

Nossa colunista-delícia verbaliza a bronca coletiva da mulher atual: nós homens não estamos sabendo (ou estamos com medo de) fazer um sexo oral decente. E de quebra ela dá ótimas dicas para a gente acertar.

Tem um episódio de Sex & the City (sim, vou citar uma série de mulherzinha. Você acha que vai aprender sobre mulher como? Vendo Velozes & Furiosos?) em que um homem passa pela mesa das personagens em um bar e uma delas diz: “Você não sabe quem é ele? É o Mr. Pussy” (fazendo referência ao conhecido dom dele para o sexo oral). E então, no decorrer do papo, a outra fala: “Querida, se um homem é bom nisso, não precisa mais nada”. E as outras completam: “Amém”.

Essa cena mostra de forma bem-humorada o quanto as mulheres gostam de sexo oral. E o quão endeusado é um homem que seja incrível nessa tarefa.

Mas a questão é: elas reclamam (e muito) que os homens não sabem realizar direito o tão almejado cunnilingus. A culpa não é totalmente de vocês, não é fácil ser um Mr. Pussy. Uma vagina, com seus labirintos e reentrâncias, é imensamente menos óbvia que um pênis.
Como disse estes dias minha amiga escritora Clara Averbuck, “a primeira coisa que os meninos deveriam aprender é: nada do que vocês veem em filme pornô é verdade”. Vocês têm uma escola errada. E as mulheres também não são acostumadas a falar o que gostam. Nesse cenário, muita coisa se perde.

Estes dias, em outro papo nos bares da vida, falando sobre isso com meu amigo Fausto Fawcett, escritor mestre da putaria intelectual, ele me disse: “Se a maioria dos homens não sabe fazer um bom sexo oral, é pelos motivos de sempre: ansiedade e ignorância. Ele acha que mandando ver de forma sôfrega na chupação e nas lambidas já vai funcionar. É preciso deixar claro que só existem dois tipos de desempenho: o bom e o ruim – e nem sempre, por incrível que pareça, o atlético quantitativo é o melhor”.
Penetração é algo mais instintivo, não tem muita técnica, é algo que geralmente rola naturalmente. Sexo oral já requer um pouco mais de técnica, de cuidado, é algo que você aprende, algo que merece uma atenção especial. Ou seja, algo que rende uma matéria, entende? Um sexo oral bem feito pode fazer você ganhar uma mulher. E, como eu sempre digo, a gratidão pelo prazer recebido transforma qualquer mulher na
melhor das putas. Então leia e aprenda.

1. Ame a dita cuja
Repare no verbo: não é gostar, é amar. Para mim, isso define um homem bom de cama. Tem que gostar do cheiro, do gosto, de tudo. Tem que ter uma ânsia animal em relação a ela. E, believe me, tem cara que não curte. Conheço uma amiga que acabou um relacionamento por isso. De novo o Fausto Fawcett: “Tem muito cara que não gosta, que gosta apenas de narcisicamente se masturbar com ela”. Repare nessa diferença.

2. Foque no ponto
O clitóris é o centro do prazer da mulher, então, no sexo oral, foque nele. Parece óbvio, mas não é. No início é ótimo e supernecessário explorar os arredores, ir subindo e descendo e ir provocando a mulher até chegar ali, mas, no momento em que você quiser que ela goze, é preciso  estimular o clitóris de forma ritmada e com uma certa energia. Use a boca também, não só a língua. Como disse Clara: “Make love to the b****a. Nela não se bate, não se lambe como se fosse um picolé. Tem que sentir com a língua. Tem que sacar a reação da mulher, como se fosse um beijo na boca, com maciez, vontade e pegada”. Tente movimentos com a língua de baixo para cima. Depois, alterne com movimentos circulares. Veja como ela reage a cada variação de movimento e de velocidade. Mas fica a dica: para ela atingir o orgasmo, foque no clitóris. Não é hora de  inventar moda.

3. Faça ela falar
Eu sou muito a favor sempre de falar o que se gosta no sexo. Dependendo da maneira como se fala, vira uma putaria verbal (o que é extremamente excitante). E ninguém tem obrigação de saber tudo, cada pessoa é diferente da outra. A mulher, mais do que o homem, por mil motivos, foi mantida ao longo da história ignorante em relação à sua própria sexualidade. E hoje muitas ainda são. Claro que já evoluiu com a informação a que todos têm acesso, mas o fato é que essa atitude em relação à sexualidade feminina ficou marcada nas mulheres e arraigada no inconsciente coletivo. Você precisa fazer ela falar, estimulá-la a buscar o que gosta. Essa busca pode ser muito prazerosa para os dois.

4. Recorra às amigas lésbicas
Existe esse mito (que não é mito) de que muitas mulheres chupam mulheres melhor do que os homens. Faz sentido, afinal elas também têm a mesma coisa complicada entre as pernas. Eu infernizo meus amigos gays pedindo dicas detalhadas de como chupar melhor um pau. Faça o  mesmo com suas amigas lésbicas, elas podem dar dicas valiosas. Vocês não têm amigas que gostam de meninas? Eu tenho. E elas deram dicas ótimas.

  • Aproveite a parte interna da coxa, que é muito sensível. Passe os dedos devagar ali antes, em alguns momentos durante e depois que ela gozar.
  • A língua deve estar firme enquanto faz os movimentos. De forma alguma dura ou mole demais. Esse meio-termo varia de mulher para mulher. Portanto, pergunte como ela gosta.
  • Enfie o dedo nela enquanto você a está chupando, mas não o tempo todo. Essa dupla estimulação, sem exagero, aumenta o prazer.

%d blogueiros gostam disto: