O Especialista na Arte de Amar



A Puta que Você Procura Dorme ao Seu Lado na Cama

Ela é uma garota dessas que você tem orgulho de mostrar na rua, não é? Certinha demais. A nora que seus pais pediram a Deus, a guria que seus amigos adoram, a mulher que você tem muita satisfação em mostrar como dama na sociedade. Só que, entre quatro paredes, você vive aquele velho dilema e exclama mentalmente que ela não é uma puta na cama. Passado o momento de arrogância pretensiosa de introdução do texto, uma questão deve ter martelado a sua cabeça (além da súbita vontade de jogar 5 pedras na cara de quem escreveu esse artigo). De onde surgiu mesmo essa história de “dama na sociedade e puta na cama”?

É uma frase popular que ronda a mente masculina há séculos. O velho desejo de ter uma mulher que pareça comportada na sociedade e seja uma verdadeira atriz pornô na cama para realizar todos os seus desejos de forma satisfatória. E por que isso? Homens pensam mais em sexo. Sim, isso já foi comprovado. Homens se importam mais com sexo. Também. Mas a liberdade masculina na ação sexual sempre fui muito grande enquanto, em tempos remotos, cabia à mulher o papel de ser quase que uma boneca inflável (abrir as pernas e fazer alguns barulhos de vez em quando só para mostrar que está viva).

Com a evolução da sexualidade e a melhoria das condições sexuais, o comportamento masculino sofreu uma pequena alteração. Ao invés de querer uma mulher completamente estática, ele preza por alguém que tenha atitude e saiba realizar mundos e fundos durante o ato sexual. A famosa puta na cama é uma mulher que sabe rebolar com vontade e sem pudor algum. Que vem por cima, por baixo, de lado, por trás, em pé e em posições inimagináveis. Que faz o que tem vontade e surpreende o cara com tanta desenvoltura e capacidade. É a mulher que ninguém imagina que possa dar tento tesão no cara a ponto dele esquecer todas as anteriores e as que virão.

Veja bem, quem nunca ouviu de algum amigo que se apaixonou pela guria certinha quando entrou no quarto de motel com ela e descobriu que ela sabia fazer muito bem seja lá o que fosse. E não é lá tão difícil assim deixar que ela se transforme em uma puta, no bom sentido da palavra. A sua esposa, ou namorada, ou fuck friend, ou peguete pode ser um baita de um mulherão na cama. Se você não reprimir a vontade dela em atuar em conjunto com você. Se você dialogar e souber das fantasias dela as coisas funcionam melhor. Pode parecer bobagem, mas a maioria das traições se dá porque o cara tem vergonha ou se sente constrangido ao pedir alguma coisa mais ousada para a pessoa que está com ele. E, a partir daí, procura em outra pessoa aquilo que não tem em casa.

Se você der espaço para que ela transforme em ação todas as vontades (que talvez ela tenha vergonha de mostrar), o sexo pode sair daquele papai e mamãe e partir para uma selvageria animal com alguém que você nunca imaginou que pudesse fazer aquilo. Converse com ela. Muitas vezes, a timidez feminina ou o medo de causar uma impressão errada (justamente pela pressão de ter que ser “dama na sociedade”) a impede de liberar geral e fazer o que der na telha. Deixe-a relaxada e faça a sua parte. Afinal, sexo é mais do que um “vem cá minha nega”. Ela também quer sentir prazer e você é o facilitador para isso, meu amigo. Não a iniba quando ela quiser mostrar a que veio. Você pode não achar, mas ela também gosta de sexo tanto quanto você. Conduza-a da forma que achar melhor, mas a deixe ser livre na hora de te dar prazer. Troque sua mulher por uma puta. E a traia com ela mesma.


%d blogueiros gostam disto: